Vitrine de Talentos

Carolina João

Comunicação

São Paulo

Araraquara

Objetivo Profissional

Objetivo Profissional

Para mim, o mais fascinante na profissão que escolhi, é poder atuar em segmentos muito diferentes, conhecer muitos assuntos e histórias através dos projetos. Meu objetivo é ajudar a solucionar problemas e comunicar de forma encantadora, através dos mais diversos projetos de ilustração e design gráfico.

Sim

Disponibilidade para mudança:

Sim

carolinaambrozio.joao@gmail.com
Carolina  João

Trajetória Profissional

Comecei minha tragetória profissional aos 16 anos e trabalhei durante muito tempo na área administrativa. Descobri nessa tragetória muitas habilidades e adquiri uma bagagem importante, mas descobri também que não era ali que eu queria ficar. A veia criativa da qual eu me desviei ainda pulsava muito forte.

Me matriculei no curso de design gráfico, iniciei um estágio em um estúdio de fotografia e design.

Depois disso passei a trabalhar de forma autônoma, desenvolvendo projetos de diagramação, projetos gráficos, capas de livros e ilustrações para material didático.

Estou sempre em busca de novos conhecimentos e nessa jornada já me aventurei em cursos de estamparia, caligrafia, toy art, ilustração científica, ilustração de mapas isométricos. Acredito que todas essas experiências enriquecem meu repertório e me ajudam a desenvolver um trabalho mais diverso.

 

Conheça minha história

Carolina é o nome que herdei de minha avó paterna, que também herdou da avó dela. Tivemos uma ligação forte e breve, ela se foi quando eu ainda tinha 10 anos.

Provavelmente foi também nessa época, que descobri o encantamento pelos livros. Isso herdei de minha mãe, que mantinha na estante, sua biblioteca particular, com os livros que ganhava de suas patroas, na época em que ela trabalhava como empregada doméstica. Depois estudou e se tornou cabeleireira, montou um salão em nossa casa, onde cresci rodeada de gente.

Minha lembrança mais forte da infância é da casa sempre cheia. Minha própria família já bastava para encher a casa, já que éramos em 6. Meus pais, eu e mais 3 irmãos. Mas nunca éramos só nós, meus muitos primos, tios, amigos e clientes da minha mãe também faziam parte desse cenário em que cresci.

Na escola, tinha predileção pelas aulas de artes, história e literatura. Adorava ir à biblioteca, pesquisar e desenvolver os trabalhos, maquetes e cartazes eram meus preferidos. Eu levava muito à sério o resultado, mas também me divertia muito no processo.

Escrevi e ilustrei um livro na oitava série, junto com mais duas amigas. Ganhamos um 10 e a professora levou o livro embora com ela. O desapego da infância é delicioso, mas hoje penso que gostaria de ter pedido pra ficar com ele, e saber o que a Carolina do ensino fundamental pensava sobre a vida.

As responsabilidades da vida me afastaram muito da minha essência criativa. Comecei a trabalhar aos 16 e a ideia de ganhar a vida fazendo aquilo que eu tinha tanta afinidade, como a comunicação e o desenho era uma coisa muito distante, pra uma menina do interior, com pouco conhecimento a esse respeito.

Depois de adulta e de já haver traçado uma carreira administrativa, a internet me trouxe outras perspectivas sobre trabalhar com comunicação e criatividade. Comecei a descobrir que era possível e passei a buscar cursos nessa área. Foi aí que descobri o design gráfico e a ilustração, como ferramentas pra viver minhas habilidades.

Sempre que olho pra trás, entendo que hoje eu sigo resgatando essa menina Carolina, que já sabia, desde sempre o que queria fazer!

img_ch_icon.png

Outras iniciativas da Cruzando Histórias nas quais participou: