top of page

Back to Work: 42% das participantes estão recolocadas no mercado de trabalho!

Com patrocínio da Amdocs, multinacional do setor de tecnologia, o Back to Work foi uma jornada de atualização e desenvolvimento para mulheres que tinham como objetivo regressar para o mercado de trabalho. O projeto visou atender mulheres que possuíam alguma formação ou experiência em tecnologia. E teve 42% de mulheres recolocadas no mercado de trabalho. Apesar do cenário otimista na área de tecnologia, a realidade para as mulheres da área ainda não tem o mesmo tom. Estereótipos e preconceitos tornam a jornada da mulher mais turbulenta. No Brasil, segundo pesquisa realizada pelo IBGE em 2020, apenas 20% dos profissionais que atuam no mercado da TI são mulheres. No mundo todo, o setor de tecnologia é um dos mais díspares no quesito equidade de gênero. Por isso, ações como o Back to Work são fundamentais. Online e gratuito e com carga horária de 28 horas, o Back to Work contou com workshop de empregabilidade online, seguido por uma etapa de acolhimento psicológico e mentoria de carreira, e também com o time de especialistas da Amdocs que disponibilizou um curso de reciclagem em habilidades-chave para profissionais de TI, além de workshops com a equipe de recrutamento da empresa.


“Ter sido responsável pela criação do Back to Work e a realização da parceria com a ONG Cruzando Histórias foi a melhor experiência em minha carreira. Por meio de um contato profissional obtive o nome da Bia e acredito que esta seja a melhor ferramenta para as pessoas que buscam se recolocar e se atualizar sobre mercado: sempre manter suas redes ativas, pois elas sempre poderão nos dar aquele direcionamento que faltava!” Misia Meyknecht, Amdocs

Veja o infográfico com os principais resultados:





Sobre a Cruzando Histórias


A Cruzando Histórias é uma organização não governamental, sem fins lucrativos, focada em oferecer projetos sociais de acolhimento e desenvolvimento para mulheres em situação de vulnerabilidade. Fundada em 2017 pela Empreendedora Social, Bia Diniz, tudo começou com um trabalho de escuta empática e contação de histórias de pessoas desempregadas em busca de recolocação no centro da Cidade de São Paulo. Desde então, o sonho cresceu e se multiplicou em uma equipe de voluntários que se apoiam em valores-chave como a empatia, colaboração social, educação e inclusão para mudar a realidade de milhares de mulheres pelo Brasil. Somente em 2020, a Organização ofereceu cerca de 1500 horas de orientação de carreira e psicoterapia, impactando mais de 6.000 pessoas pelo País. Para mais informações acesse: https://www.cruzandohistorias.org/ Parceria: parceria@cruzandohistorias.com.br Assessoria de Imprensa e Comunicação: mkt@cruzandohistorias.com.br


Commentaires


bottom of page