top of page

3 pontos importantes abordados pela nova Ministra das Mulheres

A nova responsável pelo Ministério das Mulheres, Cida Gonçalves, que assumiu a pasta na terça-feira, 3, vem anunciando, por meio de entrevistas e também em seu discurso oficial de posse, as áreas que dará foco em sua gestão e, entre elas, uma que se destaca é o papel e participação das mulheres no mercado de trabalho.


Cida é especialista em gênero e violência contra a mulher e também deixou claro que o combate às diferentes formas de violência e assédio será prioridade em sua gestão. Acompanhando esses posicionamentos, separamos três pontos importantes abordados pela Ministra que merecem a sua atenção, confira abaixo:


igualdade salarial

A ministra já destacou que a busca por igualdade salarial entre mulheres e homens que exercem a mesma função será uma prioridade. Em entrevista à GloboNews, ela reforçou que é preciso compreender o que significa ter uma mesma função no sentido de levar em consideração também a proporção que o trabalho doméstico tem na vida das mulheres para que realmente exista uma igualdade.


De acordo com Cida, é preciso uma conversa ampla com diferentes setores para abordar a dupla jornada - o trabalho dentro e fora de casa - enfrentada pela maioria das mulheres hoje e como o exercício dessas várias funções impacta no cotidiano de todas.

MULHERES no mercado de trabalho


Durante a posse, a ministra afirmou que criará uma série de iniciativas que assegurem uma maior participação das mulheres no mercado de trabalho, reforçando que está ciente da sobrecarga enfrentada pelas mulheres em relação às tarefas domésticas e buscará ferramentas sociais que permitam aliviar essa questão, especialmente em relação ao cuidado dos filhos.


A ministra ainda reforçou que deseja estabelecer o diálogo com empresas nas esfera pública e privada para o combate às diferentes formas de assédio ocorridas no ambiente de trabalho e que contribuem para dificultar a permanência e crescimento das mulheres dentro do mercado.


Tais iniciativas ficarão à cargo da Secretaria Nacional de Autonomia e Cuidados.


combate à violência

A pauta do combate à violência é um dos principais focos da pasta e Cida já anunciou que dará grande atenção ao problema. Ela afirmou que irá reforçar o Ligue 180, serviço de denúncia focado em violência contra as mulheres e que atua em todo o país. Ela também afirmou que retomará e reforçará os serviços da Casa da Mulher Brasileira, iniciativa que tem tem como objetivo acolher e prestar atendimento às vítimas de agressão e violência sexual.


A Secretaria Executiva do ministério é quem ficará responsável por restabelecer tais medidas, além de reconstruir o programa Mulher Viver Sem Violência, que engloba uma série de ações de combate ao problema. A professora e líder sindical Maria Helena Guarezi será a responsável pela área.


Também foi anunciada a Secretaria de Articulação Institucional e Participação Política, que ficará responsável por encabeçar articulações internas e externas com outros órgãos do governo para abordar políticas que sejam do interesse das mulheres. A ministra já mencionou que deseja alinhar o Ministério do Planejamento, das Comunicações e outros à pasta para que medidas sejam tomadas para além do Ministério das Mulheres em si.


Como sua empresa pode se tornar aliada da causa das mulheres


A Cruzando Histórias é uma Organização sem fins lucrativos, que promove o acolhimento, a valorização profissional e empregabilidade entre mulheres. Desenvolvemos ações, projetos e programas que visam o desenvolvimento e inclusão de mulheres no mercado de trabalho. Atuamos em parcerias com empresas atentas à causa e as ajudamos a promover impacto social, conheça nossos cases em Responsabilidade Social.

Comments


bottom of page