top of page

Com Infojobs, Cruzando Histórias reúne mais de 100 mulheres em mutirão de vagas

Atualizado: há 7 horas

Evento, que aconteceu no dia 29 de março, contou ainda com a participação do laboratório FEMME e do grupo educacional Fadelito


Por Sttela Vasco


No último dia 29, quinta-feira, a Cruzando Histórias reuniu mais de 100 mulheres na Casa CH, em São Paulo, em um mutirão de vagas. Em parceria com a Infojobs, que trouxe o laboratório FEMME e o grupo educacional Fadelito para o evento, foram ofertadas 40 vagas em atendimento e pedagogia, essa última com direito a bolsa de estudos.


No mutirão, foi realizada a primeira etapa do processo seletivo para as oportunidades, que foram direcionadas exclusivamente para as mulheres atendidas pela Cruzando. Com isso, foi possível trazer a possibilidade de se recolocar ou iniciar em uma profissão para mulheres que já receberam o apoio da ONG e precisam de uma chance para colocar seus aprendizados em prática.


"Essa é a nossa essência e maior objetivo, poder oferecer às mulheres possibilidades reais, onde elas recebam um tratamento humanizado e sejam vistas por seu potencial, mais do que sua idade, gênero ou raça", explica Bia Diniz, fundadora da Cruzando Histórias.


A humanização do processo, inclusive, foi um dos pontos mais elogiados pelas candidatas. Ao chegar, além de serem recebidas pela equipe da CH e poderem tomar um café, elas eram encaminhadas às representantes da Infojobs, que faziam um cadastro na plataforma e, na sequência, conversavam com os representantes de cada parceiro.

Eu sei que é difícil, que a gente pensa em desistir em muitos momentos, mas lembrem que desistir não é opção. - Luzmaia Arielli, mulher recolocada no mutirão.

O "fator humano" também foi mencionado pela Infojobs, que viu nessa parceria uma chance modificar a forma que as seleções normalmente acontecem. "Foi um evento muito gratificante para todos. É importante [esse tipo de ação] porque gera um fio de esperança, elas veem que existem pessoas por traz dos processos seletivos. Nós também quisemos que as empresas vissem a importância disso e se aproximassem dessa ideia", diz Beatriz Antunes, supervisora de comunicação da Infojobs.


Evento trouxe vagas exclusivas para mulheres da CH.
Evento trouxe vagas exclusivas para mulheres da Cruzando Histórias. Primeira etapa aconteceu presencialmente na Casa CH.

A tarde passou fluida, com quase todas as candidatas passando por entrevistas com ambos os parceiros e recebendo o convite para retornarem à Casa CH em caso de dúvidas. "Acho que eu nunca vi mulheres tão bem preparadas, com uma atitude otimista e com tanto desejo de se recolocar", comentou Marco Paulo Rabelo, responsável pelo RH do Fadelito.


Além da disposição das candidatas, outras semelhanças foram notadas, como a dificuldade de se reinserir no mercado por conta da idade ou da maternidade, e a necessidade das empresas de abrirem espaço para essas mulheres.


"Nós enxergamos essas dificuldades e sabemos que muitas mulheres não conseguem oportunidades por esses fatores e por isso eventos como o de hoje são tão importantes", comenta Aline Castelani, analista de recursos humanos do FEMME.


evento terminou com recolocação

Luzmaia conseguiu uma oportunidade de estágio já no dia do mutirão.
Luzmaia conseguiu uma oportunidade de estágio já no dia do mutirão.

E, para a nossa felicidade, o mutirão terminou com uma mulher já recolocada. A Luzmaia Arielli foi uma das últimas a chegar e conversou com a equipe do Fadelito. Ela conta que quase desistiu, mas optou por vir para ver o que poderia acontecer e, no fim, conseguiu um estágio na unidade Aclimação da rede.


"Eu tive momentos difíceis, cheguei a pensar se eu estava na direção certa, até pensei em não vir hoje porque pensei que não teria chance. Eu sei que é difícil, que a gente pensa em desistir em muitos momentos, mas lembrem que desistir não é opção", comenta.


Apesar de ser a única a ter conquistado uma vaga no dia, todos os processos terão continuidade e as 40 vagas serão preenchidas com mulheres que passaram pela etapa presencial na Casa CH, sendo chamadas de acordo com a evolução dos mesmos.


É importante ressaltar que todas as etapas estão sob responsabilidade das empresas que participaram do mutirão, e a comunicação será feita por elas.


🚨 A sua empresa pode fazer parte de ações que empoderam e apoiam mulheres! 🚨



コメント


bottom of page