top of page

Retrospectiva 2023: como foi o ano na Cruzando Histórias

Nem parece que mais um ano chegou ao fim. 2023 trouxe inúmeros desafios para a Cruzando Histórias, mas trouxe também muitas conquistas, alegrias e crescimento. Podemos dizer que esse ano foi de grande amadurecimento para toda a CH. Repensamos estratégias e posicionamentos e, o principal, nos dedicamos a encontrar maneiras de apoiarmos ainda mais nossas mulheres. Confira como foi o nosso 2023 na retrospectiva!


Podemos dizer que 2023 foi o ano em que compreendemos que o combate à violência de gênero é uma das nossas frentes de ação de uma forma muito mais ampla do que imaginávamos. Sempre soubemos que a empregabilidade está ligada a maiores chances de abandonar situações de abuso, porém, neste ano passamos a atuar de uma forma muito mais direta e efetiva nessa vertente.


2023: o ano do combate à violência de gênero

Passamos o ano alertando sobre a importância de todos participarem no combate às diversas violências que as mulheres enfrentam diariamente. Destacamos a importância de datas como os 21 dias de ativismo e o agosto lilás. No entanto, nada supera as ações que lideramos ao longo de 2023, visando não apenas o apoio a vítimas, mas também a participação da sociedade na temática.


Em parceria com a Prefeitura do Rio, treinamos mais de 12 mil pessoas na prevenção e combate ao assédio.
Em parceria com a Prefeitura do Rio, treinamos mais de 12 mil pessoas na prevenção e combate ao assédio.

Com o Stand Up, nosso treinamento de prevenção e combate ao assédio e importunação sexual, treinamos mais de 42 mil pessoas junto a 54 parceiros. Em parceria com a Prefeitura do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria da Mulher, foram mais de 12 mil treinados. Além de trazer mais informação ao público, uma ação dessa proporção reforça a importância de órgãos públicos e empresas privadas darem atenção à questão.


E foi com o Stand UP que outra grande ação aconteceu: a instalação de painéis nos metrôs de São Paulo e ruas do Rio de Janeiro convidando às pessoas a realizarem o treinamento. Em parceria com a JCDecaux, tivemos a chance de alcançarmos um público diferente, convidando-o a conhecer não apenas essa campanha, mas todo o trabalho da CH.


Também tivemos o lançamento de uma rede de apoio a vítimas de violência em parceria com a eQlibri. Nela, alinhamos apoio psicológico a orientação de carreira em um movimento para não apenas ajudar mulheres a deixarem situações de violência, mas também empoderá-las para que possam alcançar seus objetivos e terem independência financeira e emocional.


O Stand Up esteve presente nos metrôs de São Paulo e ruas do Rio de Janeiro graças a parceria com a JCDecaux
O Stand Up esteve presente nos metrôs de São Paulo e ruas do Rio de Janeiro graças a parceria com a JCDecaux
Saúde, educação e recolocação

Além dessas ações tão fundamentais, conquistamos, com o apoio de parceiros, benefícios para nossas mulheres como, por exemplo, acesso a exames de mamografia e papanicolau por meio do laboratório FEMME e consultas clínicas gratuitas via rede AmorSaúde. Também pudemos oferecer bolsas em cursos voltados a temáticas como tecnologia e autoconhecimento. Ofertamos oportunidades em plataformas como Google, Recode e Refuturiza.


Claro que não poderíamos falar sobre 2023 sem citarmos o Mulheres no Centro, nosso primeiro programa totalmente institucional com foco em recolocação por meio de um amplo suporte abrangendo áreas como desenvolvimento pessoal, saúde, saúde mental, habilidades, preparação de currículo e muito mais. O objetivo é mostrar que, quando há amparo e estímulo multidisciplinar, as mulheres conseguem se recolocar no mercado.


Também não poderíamos esquecer da nossa parceria com o jornal O Amarelinho, que nos trouxe a oportunidade de colocar histórias reais de mulheres atendidas pela Cruzando Histórias em primeira pessoa, permitindo que mais pessoas conhecessem os serviços da Casa CH e que mulheres com histórias inspiradoras fossem ouvidas.


Cruzando Histórias e O Amarelinho: parceria para contar histórias de mulheres inspiradoras
Cruzando Histórias e O Amarelinho: parceria para contar histórias de mulheres inspiradoras
Aprendizados, conquistas e possibilidades

Com isso, fechamos 2023 com momentos memoráveis, muitas conquistas e aprendizados para o próximo ano. Sabemos que teremos grandes desafios pela frente, mas também podemos enxergar inúmeras possibilidades e muitas oportunidades para empoderar cada vez mais mulheres, ajudando-as a conquistar seus objetivos.


Atendemos 112 mulheres na Casa CH, que, neste ano foi reconhecida pelo Selo de Direitos Humanos e Diversidade, registramos mais de 20 mil mulheres conectadas à nossa rede e tivemos 107 atendimentos de acolhimento psicológico. Em uma pesquisa de empregabilidade realizada internamente e levando em consideração cada projeto realizado, tivemos 32% de recolocações!


Foram tantos momentos bons que aqui fica apenas um recorte de tudo o que aconteceu. Agradecemos imensamente aos nossos parceiros, que reconheceram o valor do nosso trabalho e nos permitiram alcançar mais mulheres, e voluntários, que tornaram possível cada uma de nossas ações.


Agradecemos a cada pessoa que doou seu tempo para a ONG, seja votando quando precisamos, compartilhando nosso trabalho ou contribuindo de qualquer outra forma. Obrigada a quem seguiu nos acompanhando até aqui, torceu por nós e dividiu cada um desses momentos conosco.


E, mais uma vez, obrigada a você, mulher, que confiou e confia na Cruzando Histórias. Que nos enxergou como um espaço seguro para compartilhar suas dores e se desenvolver. Não sabemos o que 2024 nos trará, mas temos certeza de que continuaremos aqui, nos aprimorando, crescendo e aprendendo para ajudar você a conquistar seus sonhos.


Nos vemos em 2024!

Comments


bottom of page