top of page

Por que empregabilidade por meio do acolhimento?

Uma das principais mensagens que as pessoas encontram ao buscar a Cruzando Histórias está "empregabilidade com acolhimento" ou "empregabilidade por meio do acolhimento". No entanto, o que muitas pessoas pensam: por que unir empregabilidade e acolhimento? O que de fato um tem a ver com o outro?


Ao longo de seis anos de existência, a Cruzando Histórias entendeu que apenas a preparação para entrevistas, revisão de currículo e do perfil no LinkedIn não eram o suficiente para as mulheres que vivem uma situação de desemprego. Em um momento que pode ser tão angustiante, era preciso oferecer algo a mais.


saúde mental e desemprego


A pesquisa “Impactos do Desemprego: saúde, relacionamentos e estado emocional”, de 2017, revelou que 59% das pessoas desempregadas se sentem deprimidas ou desanimadas, 63% estressadas ou nervosas e 62% angustiadas. Além disso, há um aumento no sentimentos de ansiedade (70%) e insegurança de não conseguir emprego (68%).

Duas mulheres se abraçando
O acolhimento é fundamental na busca por recolocação profissional

Para as mulheres, esses sentimentos podem ser potencializados. Isso porque, além de muitas vezes terem responsabilidades voltadas ao cuidado da casa ou de familiares, são elas que se sentem menos propícias a determinadas oportunidades, ainda que qualificadas.


Dados levantados pelo LinkedIn mostraram que homens se candidatam a mais oportunidades do que as mulheres. De acordo com a pesquisa, as mulheres sentem que precisam atender a 100% dos critérios pedidos pela vaga, para se candidatar, enquanto os homens geralmente aplicam para os oportunidades após atender cerca de 60%.


Logo, há uma questão de autoconfiança e autoestima envolvendo a busca por recolocação no caso das mulheres. Dessa forma, ainda que oferecêssemos todo o apoio na teoria, na prática ainda haveriam pontos a serem cuidados.


cuidar de quem cuida

Mulher de cabelo loiro curto com bebê no colo
Oferecer cuidado para quem cuida é fundamental para a inserção de mulheres no mercado

Como falamos anteriormente, as mulheres são a principal força quando falamos em cuidado. Prova disso é que, em 89% dos casos, as mães são as responsáveis pela criação dos filhos até 3 anos (Pesquisa Primeiríssima Infância: Creche, 2017).


São inúmeras as necessidades, desde acesso à saúde, passando por alimentação e outros cuidados pessoais que interferem na vida dessas mulheres e impactam na busca por emprego.


Por essa razão, nosso principal e maior objetivo para 2023 é unir ferramentas que contribuam com a empregabilidade a ações que proporcionem cuidado e acolhimento.


E nós já começamos o ano dessa maneira: em fevereiro, a Colgate doou 200 kits de higiene que foram distribuídos para mulheres atendidas pela Cruzando Histórias.


O nosso objetivo agora é ampliar ainda mais esse modo de ampliar a empregabilidade feminina, reforçando a autoestima e cuidando de quem mais cuida.


seja aliado!


A sua empresa pode fazer parte dessa mudança! Confira as formas como é possível colaborar em nossa página de Responsabilidade Social ou entre em contato conosco: parceria@cruzandohistorias.com.br




Comments


bottom of page