top of page

L’Oréal Paris leva pautas sobre equidade para Cannes

Como esforço de marketing para construção de marca, o grupo L'Oréal tem reforçado seu interesse em pautas sobre diversidade, feminismo e gênero


Renan Honorato

Há 14 anos, Taís Araújo é embaixadora de L’Oréal Paris e, nesse ano, foi convidada para o Festival de Cinema de Cannes (Crédito: Cris Vidal/Divulgação)
Há 14 anos, Taís Araújo é embaixadora de L’Oréal Paris e, nesse ano, foi convidada para o Festival de Cinema de Cannes (Crédito: Cris Vidal/Divulgação)

Em 2024, a L’Oréal Paris patrocina pela 27º o Festival de Cannes como forma de expandir a percepção dos consumidores sobre as marcas do grupo. Com esse objetivo, a marca ampliou os investimentos em 10% para construção da masterbrand L’Oréal Paris. Dentre os desdobramentos práticos dessa estratégia, a marca realiza a Prêmio Lights on Women’s Worth para jovens talentos no mundo do audiovisual.


“O prêmio acontece anualmente e é destinado a diretoras de curtas-metragens promissoras, criando um caminho para que essas grandes cineastas possam mostrar seu talento e avançar em suas carreiras”, comenta Maíra da Matta, diretora da marca L’Oréal Paris. Durante os dias de festival, a L’Oréal criou um espaço para dar visibilidade as cineastas brasileiras que estão competindo em Cannes.


Com um time composto por atrizes, modelos e influenciadores, como Viola Davis e Taís Araújo, a marca homenageará as três diretoras premiadas desde a criação do Prêmio Lights on Women’s Worth. Além do jantar de premiação, a L’Oréal Paris exibiu os curtas-metragens ganhadores no Cinema Olympia, em Cannes. No ano passado, a francesa Fatima Kaci venceu por The Voice of Others, uma a história sobre os dilemas dos refugiados na França. Além disso, na primeira edição, em 2021, a alemã Aleksandra Odić recebeu a premiação por Frida e, no ano seguinte, foi a vez da Mai Vu, do Vietnã, com Spring Roll Dream.


L’Oréal Paris no Brasil


Além do festival de cinema, a L’Oréal Paris busca investir em pautas que buscam reequilibrar a desigualdade na indústria. A marca fez a doação de 20 mil euros para criação de um ecossistema de suporte para diretoras de curta-metragem. “Embora a marca não tenha atualmente projetos específicos de apoio a diretoras e projetos audiovisuais de mulheres no Brasil, estamos estudando a possibilidade de desenvolver iniciativas nessa área”, comenta. No País, a L’Oréal Paris tem como principal porta-voz da marca a atriz Taís Araújo, há 14 anos.


Além da atriz, no Brasil, a marca tem como influenciadoras a modelo Maju Araújo e a atriz Gabriela Loran. Segundo a marca, até o fim desse ano, o objetivo é ampliar a diversidade da L’Oréal em 70% tanto na comunicação quanto na empresa. O grupo L’Oréal também é signatário do Movimento pela Equidade Racial (Mover). Um compromisso público de 47 empresas para promover mudanças estruturais pautadas em capacitação e letramento racial.


Por fim, como uma plataforma global, a L’Oréal Paris desdobra no Brasil o projeto Stand Up. Essa é uma parceria com as ONGs Right To Be e Cruzando Histórias contra o combate à importunação sexual. Com isso, o programa busca capacitar as pessoas para intervir de forma segura em momentos de assédio, já contando com mais de 100 mil pessoas treinadas apenas no Brasil. Nesse ano, o grupo L’Oréal será uma das marcas patrocinadoras da Parada do Orgulho LGBTQIA+ e da Corrida do Orgulho LGBT+ em São Paulo.


Matéria publicada no Meio&Mensagem, publicada em 24 de maio de 2024.



Comentários


bottom of page