top of page

Com nova lei, empresas devem ter compromisso em combater assédio e acolher mulheres

Desde março, a Lei 14.457/22, que ficou conhecida por conta do Programa Emprega + Mulheres, entrou em vigor em todo o território nacional. Dentre as diretrizes previstas pela lei, está prevista a adoção de medidas que promovam a prevenção e combate aos mais diferentes tipos de assédio e, em especial, o assédio sexual.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (Aberje) em 2022, 72% das mulheres sofreram assédio no trabalho. 77% disseram já ter presenciado casos de assédio.

A lei traz modificações para as leis trabalhistas e torna obrigatório que empresas com Comissões Internas de Prevenção de Acidentes, as CIPAS, devem implementar um canal de denúncias, acompanhamento e apuração para casos de assédio que possibilitem o registro de ocorrências. Também devem haver treinamentos com os colaboradores a respeito do tema, além da criação de normas de conduta.


a cruzando histórias no combate ao assédio


Certificada para difundir o Stand Up, programa de treinamento para ajudar a prevenir a importunação sexual nas ruas e construir espaços seguros e inclusivos para todos elaborado pela L'Oréal Paris em parceria com a ONG Right To Be desde 2022, a Cruzando Histórias tem expertise em ensinar a prevenir, identificar e combater casos de assédio ou importunação sexual.


Já treinamos mais de 20 mil pessoas por meio da metodologia Stand Up. Agora, a partir das diretrizes implementadas pela lei, desenvolvemos treinamentos exclusivos feitos para lideranças e funcionários, ajudando a adequar sua empresa para tais exigências.





bottom of page