top of page

Comemorando 6 anos, Cruzando Histórias faz encontro para pensar sobre o futuro

No dia 3 de fevereiro, dia do aniversário da Cruzando Histórias - que em 2023 completou seis anos de existência - a ONG reuniu um grupo focal para avaliar com tem sido o caminho até aqui, de que maneira os projetos elaborados têm sido recebidos e de que maneira podemos melhorar para o futuro.


Ao questionar quais eram os pontos positivos da Cruzando, a maioria das mulheres respondeu que se sentir vista, ter respostas e se sentir empoderada são os destaques. "Quando a gente desanima, tem alguém para te anima", comentou uma delas.


Para compreender melhor de que maneira podemos evoluir, foi proposto um exercício para se colocar no lugar da organização, da própria Bia Diniz e propor mudanças e soluções. Divididas em dois grupos que rotacionavam as integrantes a cada pergunta, as participantes respondera, por exemplo, quais eram os aspectos que mais dificultavam as mulheres na hora de trabalhar.


Muitas apontaram a falta de acesso e de oportunidades, em especial para quem é mãe ou já passou dos 40 anos. Elas também enxergam que promover a inclusão social, combater os diferentes tipos de violência doméstica e oferecer melhores planos de carreira e salários mais atrativos mudariam o cenário da empregabilidade brasileira.


De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mais recente, dos 12 milhões de desempregados do país, 6,5 milhões são mulheres. A taxa de desocupação dos homens aparecia como 9%, enquanto que a das mulheres era de 13,9%.

Refletindo sobre como a Cruzando Histórias poderia atuar ainda mais frente a esses números, ambos os grupos propuseram capacitação com foco em soft skills, oferecendo programas que cobrissem temáticas como liderança, empreendedorismo, maneiras de lidar com o fluxo de caixa e investimento de dinheiro, além de abraçar um lado de cuidado e diversão, o que reforça a nossa visão de que empregabilidade vem junto de acolhimento.


Após o fim da dinâmica, houve uma pequena celebração em comemoração aos seis anos da Cruzando Histórias, que contou até mesmo com a vinda da Sueli, a mulher que inspirou a Bia a dar início a um movimento que compartilhasse histórias de pessoas desempregadas e buscasse uma forma de ajudá-las.


Quer fazer parte dessa mudança com a gente? Há várias maneiras que a sua empresa pode apoiar as mulheres. Entre em contato com parceria@cruzandohistorias.org.br


Confira mais como foi esse encontro:






Comentarios


bottom of page